top of page

AÇÕES COMUNITÁRIAS - SERRA DOS ALVES

Termo de Fomento 048/2022 - Prefeitura Municipal de Itabira

Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Inovação e Turismo.

Período de Execução: 12 (Doze) meses a partir de Julho de 2022

Repasse: R$ 359.317,72 (Trezentos e cinquenta e nove mil, trezentos e dezessete reais e setenta e dois centavos)

As atividades buscam fortalecer os laços das pessoas que residem na comunidade, aumentando o sentimento de pertencimento e mantendo vivo o seu patrimônio imaterial através de ações socioculturais e ambientais. Além disso, com o aumento do turismo na Serra dos Alves, ações efetivas de informação e conscientização serão cada vez mais necessárias para a conservação dos recursos naturais e seus atrativos, gerando assim benefícios para a comunidade, ordenado assim com um material quantitativo e qualitativos periodicamente encaminhados à administração municipal.

JUSTIFICATIVA DA PROPOSTA:

A comunidade de Serra dos Alves vem passando por grandes mudanças nos últimos anos. Localizada na vertente sul da Serra do Espinhaço, na APA Morro da Pedreira, Zona de Amortecimento do Parque Nacional da Serra do Cipó, do Parque Estadual Mata do Limoeiro, o interesse do setor turístico na região aumentou e, com isso, se faz necessário ações mais incisivas junto aos moradores nativos da comunidade que, em muitos momentos, não são atendidos pelo poder público e muitas vezes se sentem acuados para abordar os visitantes que se comportam de maneira incorreta.

Dessa forma, o público alvo dessa proposta serão os nativos e moradores residentes da comunidade e seu entorno na finalidade de dar a eles o empoderamento e a importância do pertencimento ao seu local de origem. Tem como objetivo também evitar o êxodo rural diante da grande especulação imobiliária atual e o sentimento de impotência para coibir ações indesejadas por parte de visitantes. É não permitir que a população flutuante domine o território. E dar à comunidade certa autoridade nas tomadas de decisão, para tanto pretendemos uniformizar com qualidade e impedância cada agente colaborador.

As ações têm como objetivo promover maior integração da comunidade, gerando maior engajamento e pertencimento, visto que os colaboradores serão essencialmente residentes na comunidade. Cientes de que muitas demandas são corriqueiras e constantes e muitas vezes difíceis de serem atendidas de forma imediata em função da legalidade no poder público e a alta demanda que a cidade de Itabira oferece, propomos uma série de atividades de acordo com as questões levantadas pela comunidade nas reuniões comunitárias das quais participamos assiduamente.

Esta parceria visa desonerar a Prefeitura Municipal de Itabira de uma série de solicitações que podem ser resolvidas com uma manutenção constante dos princípios e valores da comunidade, com dignidade aos envolvidos que serão remunerados pelo trabalho proposto. Significa diminuir severamente as solicitações enviadas às mais diversas secretarias visto que muitas delas, quando pudermos contar com agentes nas ações propostas, serão prontamente sanadas.

Por exemplo, muitas vezes precisamos encaminhar solicitações para Itaurb para a limpeza e cuidado nas áreas comuns, dessa forma, propomos agentes para serem os responsáveis pela manutenção diária, deixando assim a nossa comunidade sempre em dia com essas manutenções, se mantendo sempre bem cuidada. Já a manutenção de vias e bens públicos é uma ferramenta indispensável, uma vez que frequentemente a própria comunidade realiza diversas benfeitorias em áreas públicas, por intermédio do Instituto Bromélia.

Temos uma infinidade de produtores na área de artesanato, confecções e gastronomia. Propomos um agente que faça o levantamento dessas atividades e crie encontros e situações para o desenvolvimento da produção local. Além dos produtores a Serra dos Alves é berço do primeiro grupo de Marujos da Região, onde prevemos neste projeto, além do fornecimento do transporte para um ensaio geral mensal, a continuidade nos trabalhos de fortalecimento de um dos maiores bens imateriais de Itabira.

Diante da quantidade excessiva de turistas na nossa comunidade sentimos a necessidade de quantificar, informar, educar e fiscalizar este fluxo e, para tanto, contaremos com dois agentes para essa função, o que traz tranquilidade aos moradores e informações mais fidedignas à administração municipal.

Há na Serra dos Alves, entre os residentes, uma população de aproximadamente 10% (dez por cento) de pessoas sem alfabetização ou semialfabetizadas, que em muitos casos não tiveram opções e meios para se letrarem. Dessa forma contaremos com um profissional com licenciatura com atividades na educação não-formal, pretende entre outros objetivos, levar a alfabetização para essas pessoas.

Atualmente nossa comunidade tem em torno de 100 (cem) residentes (fonte: Secretaria de Saúde – Posto de Senhora do Carmo), capacidade de receptivo turístico/hospedagem em torno de 470 (quatrocentos e setenta) pessoas (fonte: Instituto Bromélia) e um público de passeios diários e empresas de turismo de aproximadamente 300 (trezentas) pessoas por fim de semana, gerando assim um público flutuante em torno de 700 (setecentas) pessoas por dia nos finais de semana.

Por fim, como maneira de documentar e manter viva as tradições da comunidade, está na proposta das atividades a serem desenvolvidas a criação de material audiovisual nas ações dessa proposta e também dar continuidade no auxílio às festas e encontros tradicionais da comunidade.

 

PÚBLICO-ALVO:

 Moradores locais e da região, turistas, visitantes, agentes da cultura, meio ambiente e da educação

ATIVIDADES A REALIZAR:

A seguir são apresentadas as atividades iniciais propostas a serem desenvolvidas na comunidade, em sua maioria diariamente, destacando que todos os profissionais aqui envolvidos são em sua totalidade, residentes e/ou nativos da comunidade da Serra dos Alves:

EDUCAÇÃO NÃO FORMAL: compreende atividades que envolvem desde a alfabetização até aulas de reforço. Na comunidade de Serra dos Alves há pessoas que não foram alfabetizadas. Esse número pode chegar a aproximadamente 10% dos moradores atuais da vida, logo se faz necessário essa iniciativa para estimular a educação dessas pessoas, promovendo melhoras na sua autoestima. Concomitantemente aulas de reforço serão realizadas para as crianças e jovens aulas de reforços de diferentes matérias para uma aprendizagem mais eficiente dos alunos atrelados ao plano de ensino da escola estadual de Senhora do Carmo.

MANUTENÇÃO DE ÁREAS PÚBLICAS: destaca-se que atualmente as praças e áreas públicas da comunidade da Serra dos Alves não recebem manutenção do poder público de forma constante, ficando os próprios moradores responsáveis pelo cuidado com os jardins e campos. Tal manutenção se justifica em função de nossa comunidade ser tombada pelo patrimônio histórico e vem se tornando uma das principais referências no turismo de aventura em Minas Gerais e no Brasil. No momento a comunidade também possui uma horta comunitária, iniciada pelo Instituto Bromélia e mantida por moradores. Além da manutenção da horta inclua-se neste item atividades de capina, roçada, manutenção de saídas de água em estradas, jardins, entorno da Capela São José, limpeza do Centro Comunitário e banheiros públicos, manutenção da área de lazer e campo de futebol (já iniciada também pela nossa instituição) e outras manutenções eventuais no patrimônio da comunidade.

Além da manutenção de áreas públicas listadas acima, é planejado outro tipo de manutenção mais pesada. As áreas comuns no entorno da Capela São José e do Grupo Escolar da Serra dos Alves necessitam de manutenção. As áreas, quando não limpas, crescem matos e capins, tornando o passeio e a estada desagradáveis. Em período de seca são comuns os relatos dos visitantes que são vítimas de micuins (fase larval dos carrapatos Amblyomma spp.). Esses carrapatos, quando acomete suas vítimas, causam coceira desagradável que pode durar por dias e, em pessoas alérgicas aos aracnídeos, pode evoluir para quadros mais severos. Além disso, os carrapatos do gênero Amblyomma são os vetores da bactéria Rickettsia, causadora da febre maculosa, uma doença infecciosa que em casos graves pode levar o indivíduo à morte.

Contratação de 02 (dois) profissionais de manutenção geral a serem definidos através de chamamento público de seleção com prioridade aos naturais da nossa comunidade.

ARTESANATO E CULTURA: Ainda é possível ver as artesãs da Serra dos Alves em atividades na frente da igreja e nos ateliers em suas casas. São as mais diversas artes na área da gastronomia, artesanato, aroma terapia, e outras mais. A ideia de fomentar esses encontros é manter viva e transmitir para as gerações futuras o conhecimento de bordado, crochê, forros de malhas e outros artesanatos desenvolvidos pelas moradoras da comunidade. Nos encontros todos e todas participantes receberão um conjunto de materiais para serem utilizados nos encontros, que serão liderados e organizados pelas próprias artesãs. A proposta é que nesses encontros haja troca de saberes populares, que o grupo se fortaleça e se organize para venda em feiras nos finais de semana na comunidade. Para tal finalidade contaremos com um coordenador dessas atividades.

OFICINAS E PARCERIAS: Serão planejadas a realização de oficinas para a comunidade. O papel das oficinas na comunidade é variado. Em um primeiro momento podemos pensar que as oficinas têm a função de levar algum conhecimento prático, como a espécie de uma aula sobre algum determinado assunto. Esse é um dos objetivos das oficinas, mas as oficinas têm outros objetivos, como promover o encontro das pessoas da comunidade, em um ambiente sadio e descontraído, onde relembram os momentos vividos no passado fortalecendo os laços comunitários.

Os temas das oficinas são bastante diversos. São listados alguns temas que podem ser abordados na comunidade de Serra dos Alves, contudo, destacamos que as oficinas deverão ser escolhidas juntamente com a comunidade, buscando temas de interesse dos moradores, evitando com isso falta de quórum, buscando um maior número de participantes. Abaixo são listadas ideias para oficinas e treinamentos com possibilidade de realização na comunidade em parceria com colaboradores dos mais diversos setores como SEBRAE, SENAR, SINDICATO RURAL, SENAC SEBRAE, PREFEITURA DE ITABIRA e outras empresas ou parceiros:

  • Condutores ambientais

  • Oficinas de leitura

  • Brincadeiras lúdicas

  • Placas educativas para a comunidade

  • Observação de Pássaros

  • Fabricação de cerâmica

  • Técnicas de construção

  • Brigada de incêndio local

  • Costura, bordados, crochê – verificar parceria com ITI

  • Observação das estrelas – Astronomia

  • Panificação caseira

  • Bombeiro civil e primeiros socorros

  • Permacultura / sistemas eco sanitários / bioconstrução

  • Manejo agroflorestal

  • Musicalização

  • Artesanatos em geral

 

CONSCIENTIZAÇÃO TURÍSTICA E AMBIENTAL: Esta iniciativa já vem ocorrendo na comunidade durante diversos momentos. Os próprios moradores têm se organizado para orientar os turistas e visitantes que escolhem a comunidade de Serra dos Alves para lazer. Essas orientações já ocorreram durante diversos momentos, como em feriados prolongados, tais como o carnaval e semana santa e, mais recentemente, durante a pandemia de COVID-19. Apesar de terem ocorrido de maneira satisfatória, a iniciativa vem de forma voluntária dos nativos da comunidade, o que em momentos pode não ocorrer dependendo da disponibilidade dos moradores. Dessa forma, com a remuneração, os nativos podem se organizar para a realização da atividade nos dias necessários.

Para tanto, prevemos dois agentes para a função de orientação, coleta de dados e informações dos visitantes atuais na nossa comunidade. Dessa forma poderemos ao final de cada período determinado contar com resultados quantitativos referentes ao potencial turístico, número de visitantes e a regionalização dos mesmos, traçando assim os perfis e consequentemente novas metas de abordagem e de trabalho. Essas atividades são importantes para orientar os visitantes a respeito de boas práticas, segurança nas trilhas e cachoeiras, respeito aos costumes da comunidade e, com isso, evitar transtorno com os visitantes, além de mostrar o zelo que a comunidade tem com o meio ambiente. Serão necessários 2 (dois) agentes de forma integral, que poderão também auxiliar nas atividades do CAT - Centro de Atendimento ao Turista que ainda não se encontra em funcionamento.

Contratação de 02 (dois) agentes de turismo a serem definidos através de chamamento público de seleção com prioridade aos naturais da nossa comunidade.

HORTA COMUNITÁRIA: Iniciada em junho de 2020 propõe-se a continuidade e ampliação das atividades com o plantio de outras hortaliças e ervas naturais medicinais que poderão gerar estudos futuros dentro das áreas de aroma terapia e medicina natural. Iniciamos a intervenção através da capina da área produtiva e desenvolvemos um canteiro em forma de mandala. Para tanto contaremos a partir de agora com um ou dois agentes específico para a dinamização do novo espaço a ser cultivado. A horta Comunitária é uma ação histórica que pretendemos dar continuidade. Tempos atrás, quando o centro comunitário era uma escola, existiam ali atividades nesse sentido onde as crianças além do aprendizado, produziam e consumiam os alimentos ali cultivados. É manter o olhar cuidadoso com este nosso novo cantinho produtivo. Informamos ainda que as hortaliças são de servidão comunitária e que todos aqui residentes podem usufruir.

PRODUÇÃO LOCAL, FEIRAS E SUSTENTABILIDADE: Na nossa comunidade e no nosso entorno existem uma infinidade de produtores de alimentos, artesanato e outros derivados e resíduos. Um exemplo muito comum é a reutilização do óleo de cozinha para a produção de sabonetes em barra. Dessa forma temos a intenção de desenvolver um projeto para a coleta desses resíduos e o estímulo à produção de sabão, gerando renda para os produtores locais e mais equilíbrio ao meio ambiente. Ainda sobre sustentabilidade e junto ao projeto da horta comunitária, está previsto o plantio de Buchas Vegetais e posteriormente gerar a consciência de que pode se substituir as buchas amarelas de pia e outras utilidades mais.  Ainda no objetivo de fortalecer e incentivar a produção e saída de alimentos e artesanato, pretendemos criar uma feira mensal local onde estes agentes possam expor e vender suas produções. 

GRUPO DE MARUJOS DA SERRA DOS ALVES: Uma das tradições locais que permanece viva ainda na comunidade é o grupo de marujos. Em uma data não precisa um senhor conhecido como José Margarida, proprietário de uma fazenda chamada Fazenda das Cobras, após uma promessa doou a imagem de Nossa Senhora do Rosário para a capela São José na Comunidade da Serra dos Alves que tinha como Padroeiro o Santo que leva o seu nome. Nesta época só se festejava o dia de São José. Com a chegada da Santa e em complementação a promessa de José Margarida, fundou-se o primeiro Grupo de Marujos da Região de Itabira. A grande dificuldade que o grupo encontra atualmente é referente ao transporte de seus integrantes para uma localidade onde eles possam dar continuidade aos trabalhos religiosos e aos ensaios. Está previsto nesta proposta o custeio de transporte dos integrantes do grupo até o nosso centro comunitário uma vez ao mês para ensaios, visando assim potencializar as atividades da Marujada, mantendo viva a tradição, assim como o desenvolvimento de novas atividades e oficinas referente ao conhecimento imensurável desta tradição.

 

LOCAL(IS) DE REALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES:

CENTRO COMUNITÁRIO DA SERRA DOS ALVES, CENTRO DE ATENDIMENTO AO TURISTA DA SERRA DOS ALVES – CAT, ÁREAS PÚBLICAS DA COMUNIDADE.

 

PROFISSIONAIS ENVOLVIDOS:

  1. Coordenação Geral: CARLOS HENRIQUE MOURA ANDRADE – Contador, Especialista em Gestão Empresarial, Pós-Graduado em Educação Ambiental.

  2. Agente de Cultura: LUCIANA AZEVEDO SOARES – Natural de Serra dos Alves, Artesã, Oficineira e Especialista em Aroma terapia

  3. Secretária: ARIANE MARIA DE OLIVEIRA – Experiência em Secretarias, Tesouraria e Serviços Gerais.

  4. Auxiliar de Educação: HELENA FERRAZ AYRES – Pedagoga, Historiadora, Auxiliar de Classe, Produtora de Eventos.

 

Para compor a equipe de trabalho da presente proposta, são planejados como colaboradores moradores da Serra dos Alves e de comunidades próximas.

São previstas mais 02 (duas) vagas como Auxiliar de Manutenção, 02 (duas) Vagas de Monitores do CAT. Além de serviços terceirizados por Pessoa Jurídica. Todas essas vagas citadas serão apresentadas à comunidade e os interessados, após manifestação passarão por processo seletivo para o cargo desejado. No caso dos serviços terceirizados, serão ofertados no município de Itabira mediante orçamento.

G0618862.jpg
bottom of page